Arquivo de novembro \28\UTC 2009

28
nov
09

I broke free!

Fará quase um mês que o Serviço de mensagem instantânea do Windows, o Windows Live Messenger (MSN para os mais chegados) não funciona no meu computador, mais especificamente na minha conta no Computador e a parte mais divertida disso tudo é que eu não estou sentindo a menor falta dele.

Poizé né zé, hoje eu percebo o quão escravo por vontade própria eu era do serviço de IM (Instant Messaging) eu era quando este funcionava. Lembro-me nitidamente agora que ele ficava ali ligado comendo meu RAM sem nenhuma utilidade e que, normalmente, quando alguém vinha falar comigo era alguém inconveniente e eu ignorava. Mas ele estava sempre lá, iniciando junto com o Windows e se alimentando do meu pobre e limitado processador.

Assumo que estou usando o IM do Skype, mas só converso com uma única pessoa e não estou sentindo tanta falta do msn (peço desculpas aos meus contatos do msn, mas é a verdade), que posso contatar por um simples e-mail (ainda sou dependente do Outlook, ok).
Ainda não sucumbi aos poderes de encurtar distâncias do Telefone, mas logo logo quando eu tiver uma agenda telefônica definitiva eu serei obrigado a usá-lo.

Tudo isso me faz pensar em como a internet está dominando nossas vidas. Ninguém que nasceu depois de 1970 anda conseguindo sobreviver sem internet, e isso sempre rende boas conversar com meu pai, desenvolvedor de sites que é um fã de carteirinha da Internet.
Essa geração criou uma dependência voluntária entre vida social e internet de modo que não há mais nada que escade da divulgação pública.

As redes sociais estão aí para comprovar isso. Eu mesmo tenho cadastros por metade delas, e o mais irônico é que não uso quase nenhum por necessidade, apenas por mero luxo. E outro fato que deixa tudo mais irônicamente engraçado é que não preciso esforçar minha memória para lembrar das minhas vidas sociais e-mundo afora, basta perguntar a Deus e consigo encontrar todos os lugares possíveis e imagináveis que meu nickname já deixou algum rastro.

Estamos entrando na era da informação mastigada e de fácil entendimento.

Ou da pouca informação…vide o twitter.

Pessoas não conseguem mais ler textos maiores do que a área de visualização dos navegadores. Descer a barra de rolagem tornou-se um castigo grego. O botão “rolete” do mouse até tentou ajudar, mas falhou miseravelmente. O Google Chrome tirou aquele monte de botões inúteis e fez uma área de visualização maior mas não foi feliz em sua demanda.

Desistiram…

“Se eles querem continuar burros, vamos lucrar em cima disso”. E então fez-se o twitter e puderam comprovar que a capacidade de leitura do adolescente se limita a 140 caracteres consecutivos.

E ainda dizem que a tecnologia faz com que utilizemos mais do nosso cérebro, pf

O que me deixa com medo é a possibilidade do fim do livro, ou o seu encarecimento pois o público de boas obras está cada vez menor.
Serei piedoso e não vou descartar a série Twilight como obra literária.

Mas apenas no sentido mais técnico do termo “obra literária”, onde até aqueles livretos de banca de jornal com um nome feminino como título, se encaixam.

Enquanto isso eu vou me preparando para a era em que Ler um Livro será algo que vale até para subir de posição o seu Currículo para concorrer a vaga de varredor de rua.

Incrível a minha capacidade de começar com um assunto e terminar com outro. Um dia ainda me fodo por causa disso.

25
nov
09

Ode ao Ódio

Inspirado por ela e pelas pessoas ao meu redor vou falar sobre uma das poucas coisas que odeio, que são as pessoas que afirmam com a sabedoria dos grandes sábios sobre qualquer coisa, e não são nem um pouco grandes, nem mesmo sábios.

Irrita-me falar de algo que gosto e a pessoa me responde “Affe, isso é uma bosta!”, como se a sabedoria universal estivesse a favor dele(a) e ninguém mais.

Custa falar que você apenas não gosta daquilo? É tão difícil deixar sua posição autoafirmada de “ser superior” e admitir que o que você acha uma bosta diz respeito única e exclusivamente a sua opinião. Opinião essa que de nada vale quando é erroneamente confundida com a verdade.

Opiniões nunca poderão ganhar o valor de verdade, e perdem até mesmo o próprio valor de opinião quando tenta-se coloca-la como verdade.

A verdade é simples: Se você não gosta, o problema é seu, eu gosto!

Esse texto contém hipocrisias, pois eu faço isso, coisa que prometo tentar parar de fazer daqui para frente

25
nov
09

Desenvolvendo o post relâmpago anterior…

Não, não consegui encontrar a resposta para a pergunta do post anterior.
E a cada maneira que tento perguntar a dúvida fica cada vez pior, sempre dando voltas em círculos e terminando na mesma e tentadora tristeza regada a Coldplay.

É, Coldplay tem esse efeito desastroso em mim e sei que não sou o único. Enfim…

Sempre me vejo preocupado com esse tipo de atitude que eu não gostaria de ver em mim, atitude de pessoas sem atitude que não conseguem viver a própria vida, não fazem o que tem vontade com medo de represália.

Rejeição é um dos meus medos. Um dos piores. Unido a meu pessimismo natural eu me sinto feliz por ainda não sofrer de Síndrome do Pânico e me trancar em casa com medo de receber um não quando for comprar um lanche na rua. E é tudo muito arritimado, uma hora eu creio cegamente que todos vão me aceitar, outra hora tenho certeza absoluta de que vão olhar para mim como se eu não fosse nada e vão me deixar pior que isso.

Não faço a mínima idéia de como isso começou, então não sei por onde começar se for tentar adivinhar o que (Ou quem) me fez ser assim. Mas wtv…

Ta virando post meu-querido-diário, mas não sei qual vontade é maior, a de parar por aqui ou terminar.

Voltando…fico com medo de não estar enxergando que sou algo que menosprezo, que eu falo dos outros mas faço coisas parecidas. Um Hipócrita segundo esse post da Lucy (Não me abomine please…).

Pois é, as vezes percebo que a hipocrisia está no meu sangue, mas a vontade de criticar é mais forte. Eu juro que estou tentando me curar. Juro!

Ainda não expliquei o porque do impulso de fazer esse post. É o seguinte:
Já há um bom tempo que percebo que minha imagem de relacionamento é sempre acompanhada de meus amigos, ou de pessoas que convivem comigo. Não só a de relacionamento, mas em várias áreas da vida, pois falemos de relacionamentos.

Eu possuo minha imagem de companheira perfeita. Todos tem, quem nunca imaginou a pessoa que gostaria de passar a maior parte de sua vida que atire a primeira pedra. Eu admito que tenho minha própria concepção de como seria minha companhia: personalidade, aparência e etc. Sei que é coisa de autista, mas é a verdade.

Esse não é o problema (pois é, esse não é o problema). O problema está em como essa companhia aparece em minha imaginação. Sempre num momento em que será exposta a opinião (palavra chave, oi) das pessoas quanto a situação. A opinião que eu espero, não vale a pena comentar agora, mas sempre à espero em várias situações de meus “sonhos acordados”.

Irrita-me pensar que e quero esse tipo de coisa só para ver a reação das pessoas. A palavra ridículo fica pulsando na minha cabeça.

Algumas vezes até tento praticar um pouco, tentando transformar essa imagem em algo mais privado, mas é difícil, e agora que escrevo eu percebo o quanto isso é chato.

É difícil imaginar o seu próprio mundo, sem pessoas em volta. Ao menos o meu é, acho que eu não conseguiria viver sem as pessoas em volta de mim, mesmo eu querendo muito conseguir. A vida solitária não é ruim como dizem os contos de fadas do Tio Sam.

Acho que preciso esquecer relacionamentos e me concentrar nos trabalhos que vão me tirar da DP. Aposto que se a maior parte das pessoas fizesse isso estaríamos num mundo melhor. (Y)

24
nov
09

Post Relâmpago – Opinião “própria”

O que quer dizer quando você sente a necessidade de uma companhia mais íntima que seus amigos, mas sempre que você a imagina, você se imagina com ela na frente dos seus amigos?

Você pode dizer que não vive em função dos outros?

Fica aí a pergunta que tentarei responder no fim do dia de hoje…

23
nov
09

Se você está vivo…

…é porque alguém quer. Já pensou nisso?

Bem, eu já, aliás, penso isso toda vez que termino de ver um Episódio de Prison Break. Resolvi postar porque hoje não assisti nenhum e mesmo assim pensei nisso, ou foi o tema que veio mais rapidamente ao limiar da minha memória, wtv…

Nós vemos hoje como o mundo capitalista criou uma sociedade…melhor…uma maneira de pensar, agir e reagir (Leia-se Viver) no homem que desenvolveu uma (Agora sim a palavra no lugar certo) sociedade que se divide com base no poder monetário do indivíduo, ou melhor, daquela peça do quebra-cabeças das grandes corporações.
O Capitalismo promove a liberdade, mas esquece de lembrar que todos os seus outros parâmetros nos levam a descobrir que a liberdade tem sim o seu preço, e que também pode ser comprada em vários pacotes, tamanhos, cores e formatos de acordo com o poder de compra do cliente. Tudo isso impulsionado pela mídia, subproduto do capitalismo que invade cada vez mais a mente do indivíduo transformando-o cada vez mais numa peça moldável que se encaixa perfeitamente onde alguém quer.

Essa sociedade movida a Dólares criou toda a cultura de massa em que vivemos, desde a música até as artes que até pouco tempo atrás era quem mandava e desmandava no pensamento. Hoje como não dizer que a arte é financiada pelas grandes corporações?

Por que não pensar que aquela banda mais famosa não está fazendo fama por que alguém precisa de uma distração mental para a população, para que esta não veja o que realmente ocorre?
Os programas de televisão, revistas, jornais, os próprios movimentos contra a cultura de massa e as grandes corporações poderiam facilmente ser uma nova maneira de impulsionar a população cada vez mais para o fundo do poço da ignorância.

Por que não? Pense como um grande empresário limpador de mentes, que depende da ignorância alheia para ganhar dinheiro garimpando o trabalho humano. Sua colheita parou de dar produtos? Dê-lhes um novo adubo. Ainda nada, forneça inseticidas falando que é para o seu bem. Se eles continuarem, compre a fazenda ao lado e plante-os lá, dizendo que eles estão sob a criação de um novo lavrador, bondoso e que se importa com os seus produtos.

Se nada disso funcionar, tire as ervas daninhas da colheita. Existem 6 bilhões de outras mudas que podem ser colocadas no lugar, tão iguais quanto a primeira, que já foram criadas dentro dos parâmetros impostos pela mídia.

Em pouco tempo as grandes corporações atingirão a Internet (Se já não o fizeram, o que eu não duvido), com seus falsos blogueiros divulgando sua maneira “revolucionariamente planejada” de pensar, sob o estandarte de que somos todos as exceções do rebanho capitalista.

Eu acho que devia postar mais alguma coisa, mas já estou com sono e necessitando de um banho demais para um ser humano comum.

Cya

22
nov
09

Fudest

É isso aí, como eu sei que metade do país está afetado hoje porque é dia de Fudest Fuvest eu vim fazer um Post Relâmpago sobre a Fuvest e como ela afeta nossa vida mundana.

Na sexta feira mesmo fui a um show de um amigo e na volta para o metrô, o pessoal que me acompanhava e eu encontramos um bêbado na rua e o que ele pergunta?

Ei, domingo é a Fuvest, quem aí sabe quanto é a raiz de 144?

Pois é, até um bêbado nômade da Mooca sabe que a Fuvest está chegando. Chegando no dia da prova alguma energia negativa maligna se espalha pelo ar e toda a população sente que está chegando a hora do juízo final, ou que é hora de ver se o ano inteiro de cursinho que seus pais pagaram você pagou vão valer algo contra aquele japonês do outro lado da sua sala, com cara de que aprendeu o ABC num Linux quando ainda tinha 2 anos de idade.

Japonês Nerd
Esse é o Japonês da sua sala quando criança, e todos os outros das outras salas também!

Ou então de ver se o cursinho vale contra aquele professor de cursinho que presta o Vestibular, entra na Faculdade e tranca a matrícula só para tirar a vaga de alguém como VOCÊ! Isso mesmo, eles fazem isso e não te contaram, por isso todo mundo que parecer ter mais de 29 anos é uma possível vítima de acidente fatal, junto com os 3 japoneses da sua sala…

AGORA SÃO TRÊS!! RUN ZÉ!! RUN TO THE HILLS!! ELES ESTÃO SE MULTIPLICANDO!!!!

Bem, mais tarde eu posto alguma outra coisa, como estava a prova ou quantos japonêses eu consegui contar.

1 bg do Drk sempre fazendo do mundo um lugar melhor ;*

21
nov
09

Lua Nova

Antes de sair de casa eu tinha a necessidade biológica de postar isso, mesmo sabendo que poucas pessoas lerão.

Encontrei um bolog que conquistou meu coraçãozinho fraco, o Twilight Haters Brasil, ah, como é bom saber que a população desse meu Brasil varonil ainda tem salvação. Para os leigos, a tradução do nome do Blog é “Odiadores de Crepúsculo”, e acho que já traduz o suficiente o tema do blog.

Não só ataca mas como mostra a opinião da crítica Internacional que, como era de se esperar, não gostou do filme. Também pudera, quem tem a capacidade de gostar da série não tem capacidade pra mais nada.

Desculpem-me os fãs, assistam alguma coisa de Bram Stoker antes de falarem de vampiros.




Pick a Twitt

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Pick a Day

novembro 2009
S T Q Q S S D
« jun   dez »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

Pick a Click

  • 3,210 Acessos